Livro: Refúgio
Título original: Shelter
Autor (a): Harlan Coben
Editora: Arqueiro 
Páginas: 222
Apresentado ao público pela primeira vez no suspense Alta tensão, Mickey Bolitar se vê obrigado a ir morar com seu tio Myron, um ex-agente do FBI, após testemunhar a morte do pai e internar a própria mãe numa clínica de reabilitação. Agora o rapaz precisa se esforçar para conviver com o tio, de quem nunca gostou muito, e ainda se adaptar ao novo colégio. Para sua sorte, ele logo arruma uma namorada, a doce Ashley, que também é nova na escola. Quando sua vida parece estar entrando nos eixos, o destino lhe reserva uma surpresa: Ashley desaparece misteriosamente. Determinado a não perder mais uma pessoa importante em sua vida, Mickey contará com a ajuda de seus novos amigos, os excêntricos Ema e Colherada, para seguir o rastro da namorada. Para piorar, uma idosa reclusa da vizinhança lhe conta que seu pai ainda está vivo, sem dar maiores explicações. Quando esses dois mistérios se cruzam, Mickey descobre que está envolvido numa rede de intrigas que o levará a questionar a vida que acreditava ter. Perspicaz e esperto como o tio Myron, Mickey está disposto a fazer tudo o que for preciso para salvar as pessoas que ama.
SÉRIE "MICKEY BOLITAR"
    1.  Refúgio
    2.  Uma Questão de Segundos

     Mickey Bolitar perdeu o pai em um acidente de carro. A partir dessa tragédia, sua mãe entrou para o mundo das drogas e precisou ficar em um clínica de reabilitação. Nesse meio tempo, Myron Bolitar, seu tio, decidiu largar todas suas ocupações para apoiar o sobrinho. E nosso protagonista tenta voltar para sua vida normal.
     Nos primeiros dias de aula, Mickey conheceu Ashley Kent, uma garota linda e ainda sim, esquisita. Logo ele se vê apaixonado por ela, e, quando as coisas enfim estavam começando a dar certo, ela simplesmente desaparece.
     Com a ajuda de sua amiga Ema e um garoto nerd apelidado de Colherada, Mickey começa a investigar as pistas que sua namorada deixara para trás. Primeiramente, descobre que ela não era filha dos Kent, como estava registrado em sua ficha escolar. Olhando nas gravações das câmeras do colégio, descobrem também que um homem arrombara o armário de Ashley e que provavelmente ela estava envolvida com pessoas perigosas.
     O pior, era que qualquer pista deixada pela sua namorada era ligada à senhora Morcega, uma velhinha que se tornara até uma lenda na sua região. Um dia, esta mesma velhinha apontara seu dedo magro para Mickey e dissera que seu pai não havia morrido.
     Agora Mickey também estava sendo perseguido, e não conseguia esquecer o que dona Morcega havia dito a ele. Será realmente que seu pai estava vivo? Será que Ashley estava em perigo? 


Refúgio é um dos livros do famoso Harlan Coben, que teve suas obras traduzidas para 44 idiomas e ganhou inúmeros prêmios, dentre eles o Edgar Allan Poe. Harlan Coben foi confirmado para a Bienal do Livro desse ano que acontecerá em Agosto na cidade de São Paulo, e tem várias publicações traduzidas e publicadas pela Editora Arqueiro aqui, no Brasil. Confira a resenha de Refúgio abaixo, e depois compare-a com a resenha de Cilada

     Essa obra saiu totalmente do rumo que se era esperado. Acostumada com o livro Cilada, do mesmo autor, surpreendi-me quando percebi que Refúgio não era um livro que contava com todas as características de um gênero policial. Tratava-se, no entanto, da narrativa da vida de um adolescente com problemas pessoais em uma escola tipicamente estadunidense. A diferença entre esses dois livros era gritante. 
     Refúgio não se tornou ruim, tão pouco, por seguir o estilo juvenil. Pelo contrário, apreciei bastante este novo estilo e não pude deixar de compará-lo à Cidades de Papel, do John Green, onde um adolescente também sofre com a partida misteriosa de sua suposta amada. 
     Apesar disso, a obra teve um desenvolvimento um tanto cru. Talvez, devido à época que o livro foi escrito, ou porque o enredo contava com muita história e muitos detalhes. Harlan Coben arrasou mais uma vez em na construção de sua trama: é simplesmente surpreendente e imprevisível, mas continuo a acreditar que, com uma história dessas, era possível sim, fazer um desenvolvimento mais bem estruturado, com mais artimanhas e com um pouco mais de lentidão.
     Outro ponto que me decepcionou um pouco foi a narrativa, que deveria ser mais descritiva e detalhada. Minha principal reclamação sobre a obra (a mesma de Cilada), é a seguinte:


 Harlan Coben pecou na narração nesses dois livros. Entretanto, achei que Refúgio teve muito mais suspense. E eram justamente nessas cenas de suspense, que a narração se tornava perfeita. Fico imaginando que, se a descrição fosse impecável em todos os capítulos, o livro poderia sido um suspense de se admirar. 
     Mas os pontos positivos pesaram bastante nessa balança. Além de um enredo surpreendente, o assunto que o autor escolheu para abordar foi incrivelmente interessante e inesperado. Ele utilizou-se do Holocausto e de informações e personagens reais para dar um ar mais concreto para sua ficção. Isso, sem dúvidas, chamou o leitor e despertou uma curiosidade enorme.
     Por mais que o início do livro foi um pouco desinteressante, seu final, então, foi o oposto. Houve muita ação e muitas lacunas fechadas. Mas várias ficaram abertas também.
     Gostei dos personagens criados, principalmente de Dona Morcega, onde o mistério se concentrava. Mas Mickey, Ema e Colherada formaram um trio espetacularmente esquisito. Foi impossível não rir desses três.
     Refúgio é o primeiro livro, e Uma Questão de Segundos é sua sequência, que encerra o mistério levantado pelo primeiro. Não gostei muito dessa divisão, pois acredito que dava para juntá-los em um só livro. 
     É uma obra indicada por mim, principalmente para quem gosta de um mistério mais juvenil, com cenas engraçadas, com cenas de suspense e com muita ação. Há sim seus defeitos, mas suas qualidades compensam qualquer vacilo. Refúgio é mais uma história de Harlan Coben que me deixou doente para saber seu desfecho.

Primeiro Parágrafo: 
“Eu estava indo a pé para escola, morrendo de pena de mim mesmo.”
Melhor Quote:
 “Então, como fazemos inimigos?”
“Quando você salva uma pessoa, geralmente a está salvando de alguém.”
 

  


9 Comentários

  1. Oi Leticia!

    Eu gosto muito da escrita do Harlan e seus livros sempre me envolvem, mas até hoje li apenas livros da série com Myron Bolitar que eu adoro. Estou curiosa para ler seus livros avulsos e agora com essa pegada mais juvenil. Fico feliz em saber que uma admiradora dos seus livros gostou desse novo tipo de narrativa. Fiquei muito curiosa.

    Beijos

    http://poesiasprosasealgomais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Le :)

    Até hoje só li: Não Conte a Ninguém do Harlan e posso dizer que adorei, esse é o próximo da lista. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Le, faz tanto tempo que não leio nada do autor. Bom você ter avisado sobre a sequência do livro.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  4. Oiiiiiiii, que resenha óootima!
    Sério, preciso urgente ler algum livro do Harlan... Tenho um amigo e uma amiga que amam ele, hehe!
    Refúgio parece mesmo ser incrível... Abraço, www.likelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oieee, eu não gosto deste autor, já comecei a ler um livro dele e achei muito sem graça, eu ainda não gosto muito do gênero de suspense e a escrita chata do autor me deixaram traumatizados, nunca mais peguei nenhum livro dele para ler e não pretendo rsrs, Abraços

    ResponderExcluir
  6. Fiquei chocada de saber que o livro não tem todas as características do gênero policial! Achei que todos os livros do Harlan Coben eram policiais do início ao fim, me surpreenderia tanto quanto você.

    Gostei de saber que o autor se utilizou do holocausto, gosto de livros que tratem desse tema.

    Ainda não li nada dele, mas pretendo fazer isso assim que possível.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  7. Leeee, tudo bem?
    Do Harlan eu só li Cilada e adorei. Quero ler mais livros dele, mas fico meio confusa quanto à ordem.Sempre falam que não precisa ler na ordem, mas quero pelo menos tentar ler mais ou menos na ordem. Pela sinopse esse não foi o livro dele que mais me interessou, mas manterei em mente (ou melhor, no skoob).
    Beijos e boas leituras Le e Gabi!

    ResponderExcluir
  8. Oi Le!
    Muito boa resenha mesmo! Parabéns!
    Se eu fosse ler seria por esse comentário que me deixou muito curiosa: '' Harlan Coben pecou na narração nesses dois livros. Entretanto, achei que Refúgio teve muito mais suspense. E eram justamente nessas cenas de suspense, que a narração se tornava perfeita. Fico imaginando que, se a descrição fosse impecável em todos os capítulos, o livro poderia sido um suspense de se admirar. ''

    Eu não li nada do autor, para comparar, então vou pelos pontos negativos e positivos que ponderou na resenha! Espero ler e tirar minhas conclusões!
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oiee ;)
    Ai que ainda não li nada do autor e estou mega curiosa quero conhecer a escrita, só vejo resenhas positivas, até a sua mesmo dizendo que tem detalhes desnecessário, mesmo assim ele conseguiu surpreender e proporcionar uma boa leitura, espero que aconteça o mesmo comigo quando ler.
    Beliscões

    ResponderExcluir

.