Livro: A Lista
Título original: One hundred names
Autor (a): Cecelia Ahern
Editora: Novo Conceito
Páginas: 384
ISBN: 9788581636832

Sinopse: A Lista - Kitty Logan tem 32 anos e aos poucos está perdendo tudo o que conquistou: sua carreira está arruinada; seu namorado a deixou sem um motivo aparente; seu melhor amigo está decepcionado com ela; e o principal: sua confidente e mentora está gravemente doente. Antes de morrer, Constance deixa um mistério nas mãos de Kitty que pode ser a chave para sua mudança de vida: uma relação de nomes de pessoas desconhecidas. É com base neles que Kitty deverá escrever a melhor matéria de sua carreira. Quando começa a ouvir o que aquelas pessoas têm a dizer, Kitty aos poucos descobre as conexões entre suas histórias de vida e compreende por que foi escolhida para dar voz a elas.


   Conhecida no Brasil principalmente por seu livro "PS: Eu te amo", Cecelia é uma jovem autora Irlandesa, cujo magnum opus foi publicado quando a autora tinha apenas 21 anos, e a obra permaneceu entre a lista dos mais vendidos na Irlanda por muitas semanas. Ela é formada em jornalismo, porém, para a nossa felicidade, decidiu dedicar-se à literatura, escrevendo obras como "A vez da minha vida", "O livro do amanhã" e "Simplesmente acontece".

   Kitty é uma jornalista televisiva, que, em um impulso, pensando em sua carreira, acusou um pai de familia de estupro, ao vivo, em um programa nacional. Foi um equívoco de Kitty, e causou consequências terríveis, tanto para a família do acusado, quanto para ela mesma. Demitida e ostracizada, ela viu sua vida decaindo cada vez mais. Além disso, Constance, uma grande amiga, está perdendo a batalha numa luta contra o cancêr. É Constance, que nos últimos dias de vida, dá uma idéia e uma esperança para Kitty, algo que pode mudar sua vida para sempre.
   Constance — que além de grande amiga, é dona da revista na qual Kitty começou a trabalhar após ser demitida da emissora de televisão —, deixa para a amiga uma lista com cem nomes, porém acaba falecendo antes de poder explicar a lista para Kitty. Após a perda, a revista decide fazer uma homenagem para Constance, e Kitty tem apenas duas semanas para desvendar a lista, entender o que essas cem pessoas tem em comum e porque aquilo era tão importante para Constance.
   Conheci Cecelia primeiramente assistindo um filme que foi baseado em sua obra mais expressiva, "PS: Eu te amo", me interessei muito pela história e decidi ler o livro. Na época foi uma leitura que me agradou, mas não consegui contemplar tanto sua obra. Quando tive a oportunidade de ler "A Lista", fiquei muito feliz pela possibilidade de ter contato novamente com um trabalho da Cecelia. Esperava uma obra com certa carga emocional, porém, algo leve. E foi um pouco diferente do que imaginei.
   Li apenas um livro da Cecelia, e, apesar de ter sido há muitos anos ainda me lembro de ter sentido uma narração bastante focada no desenvolvimento dos personagens, e senti o mesmo neste livro. Os personagens são o ponto mais trabalhado do livro - suas histórias são apresentadas aos poucos, e isso nos faz sentir uma grande proximidade. Eu, particularmente, gosto muito desse estilo narrativo, mas não é algo que agradará a todos, pois isso torna a leitura menos ágil, e um pouco mais pesada.


   Sou fã de um bom drama, e esse foi um drama que me trouxe uma angústia muito grande. Kitty, por causa do trabalho, se deixou levar e acabou cometendo uma grande injustiça, uma pessoa inocente foi prejudicada. Nesse período tão difícil, Kitty é presenteada com uma lista - uma missão cujo propósito ela mesma desconhece. Isso me prendeu de tal forma ao livro, que até sonhava com a lista, e tentava entender o significado dela para Constance e o que isso acarretaria na vida de Kitty.
   O narrador onisciente nos permitiu uma proximidade grande com Kitty, a protagonista. Ela é uma personagem bastante esférica ao longo do livro, passando por profundas mudanças ao longo da lista e das consequências que encontrar as pessoas da lista tem em sua vida. Ela passa por momentos muito difíceis e seu sofrimento é palpável, de uma forma muito dolorosa.
   As pessoas da lista são grande parte do livro, e cada uma delas é única e importante para a história e para a vida de Kitty. São muitos personagens, por isso ficaria inviável ser mais específica em relação a eles, mas todos tem sua parte na história, são muito trabalhados e vamos conhecendo a vida de cada um deles gradualmente
   Se livros focados no desenvolvimento dos personagens me agradam - e digo isso sobre a narrativa de A Lista - por vezes isso acaba tornando a história arrastada. Mesmo adorando conhecer a fundo os personagens deste livro, senti que em algumas partes isso aconteceu com A Lista. Não foi algo uniforme durante a história, porém em algumas partes, especialmente na primeira metade do livro, essa densidade me pareceu mais desnecessária, e acabou diminuindo a velocidade com que eu virava as páginas do livro.


   A capa do livro é muito delicada - tanto na utilização de texturas diferentes, quanto nos detalhes gráficos. Os tons frios de índigo e prata em fundo branco trouxeram um ar suave para a capa. A fonte é diferenciada, em páginas amareladas, e há belos detalhes nas transições de capítulos. A edição da Novo Conceito está muito bonita. Encontrei alguns pontos em que senti que a tradução não foi a mais adequada, porém no geral a tradução me agradou bastante.
   Foi uma leitura bastante diferente do que eu imaginava. Apesar de já ter lido outro livro da autora, não esperava tanta profundidade, um drama tão denso. Mas foi uma ótima surpresa e acabou sendo uma leitura que permanecerá comigo por muito tempo. Recomendo esse livro para aqueles que gostam de dramas e livros um pouco mais densos, com muito desenvolvimento de personagens e carregados de histórias dos mesmos. Uma leitura que perdura mesmo após termos virado a última página!

Primeiro parágrafo do livro: “Ela recebera o apelido de túmulo”
Melhor quote: “Talvez pensemos que somos pessoas comuns, que nossa vida é entediante porque não estamos fazendo nada de extraordinário nem estampando capas de jornais, tampouco suas manchetes, nem ganhando prêmios memoráveis. Mas a verdade é que todos nós fazemos coisas fascinantes, admiráveis e das quais deveríamos sentir orgulho.”



5 Comentários

  1. Minha amiga que leu e resenhou esse livro e amou <3 Depois vou querer ler também. Ótima resenha.
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Heey!
    Acredita que eu nunca li nada da Cecelia?! Preciso mudar essa situação urgentemente haha.
    Como gosto de livros profundos, creio que "A Lista" será uma boa leitura ^^
    Abraços!
    http://desbravando-o-infinito.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. eu ja li, mas sabe aquela história que te marca que você não consegue expressar bem em palavras?
    se pararmos pra analisar é um enredo mais simples, mas talvez o mais significativo da autora, ao trabalhar essa lista interminável de histórias ela nos mostra como cada um é especial! me peguei chorando em alguns momentos, rindo em outros, mas com certeza é um livro que recomendo!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Todo mundo diz que é perfeito, mas não leio antes de ver uma resenha. Amei a sua! Vou ler ele com certeza! E até mesmo fazer uma resenha depois....
    http://meninadalivraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá Francielle, tudo bom?
    Adorei a sua resenha até hoje só li um livro da autora o "Simplesmente Acontece" e amei a escrita da autora, como você mesma disse, ela sabe construir personagens como ninguém. Ainda não tive a oportunidade de ler este livro, mas em breve espero que possa lê-lo, de cara o que me chamou a atenção foi essa capa que eu acho linda, mas depois da sua resenha, quero saber qual a ligação dessas pessoas.

    Beijux ;)
    http://entrelinhasalways.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

.