Livro: Pandemônio
Título original: Pandemonium
Autor (a): Lauren Oliver
Editora: Intrínseca
Páginas: 304
ISBN: 9788580573138
Sinopse: "Duas realidades, duas Lenas, diferentes ameaças. Antes e agora. Dividida entre o passado – Alex, a luta pela sobrevivência na Selva – e o presente, no qual crescem as sementes de uma violenta revolução, Lena terá que lutar contra um sistema cada vez mais repressor, sem, porém, se transformar em um zumbi: modo como os Inválidos se referem aos curados. Não importa o quanto o governo tema as emoções: pouco a pouco a sociedade se incendeia pelas faíscas da revolta, vindas de todos os lugares… inclusive de dentro. Achavam que amar era algo sublime. Mas isso foi antes de encontrarem a cura."

SÉRIE "DELÍRIO"
    1.  Delírio
    2.  Pandemônio
    3.  Réquiem

    Lena Haloway já foi apenas uma jovem que não podia esperar pela sua cura – a injeção recebida aos 18 anos, dada pelo governo, que impede os cidadãos de desenvolverem a doença chamada amor deliria nervosa. Tudo mudou, é claro, quando Alex entrou em sua vida. Lena foi infectada pelo amor, e estava feliz com isso. Para viver seu romance, porém, o casal deveria fugir para além da cerca. E foi aí que tudo deu errado…
    Lena conseguiu atravessar a cerca, mas Alex sacrificou-se para isso: ele fora capturado e, provavelmente, morto. Sem forças e a beira da morte, Lena foi resgatada por um grupo de Inválidos, e precisou aprender a viver em um ambiente exótico com pessoas que não conhecia. Na selva, ela descobriu uma nova família a aprendeu, pouco a pouco, a deixar o passado para trás e se adequar ao que a esperava. 
   Agora, ela é parte dos rebeldes, e participa ativamente da missão de lutar contra um sistema que se tornou cada vez mais opressivo. Por mais que sejam reprimidas, é possível ver as faíscas de uma revolução pela sociedade, e depois de entrar em uma enrascada e conhecer Julian – o filho de um importante líder de um movimento contra o amor deliria –, ela terá que lutar para se manter viva, ao mesmo tempo que revive emoções que havia mantido escondidas até agora. 

     Depois do impressionante final de Delírio, o primeiro volume da série, mal pude esperar para ter em mãos o segundo livro. Já iniciei a leitura de Pandemônio com expectativas, indignada com o final que Oliver havia deixado subentendido, e, especialmente, ávida por algumas explicações. Se encontrei tudo o que procurava? Não exatamente. 
   Pandemônio possui, de início, os mesmos problemas que Delírio apresenta no final: muita embromação. A autora delongou o início, se atentando a fatos importantes, mas que poderiam ser facilmente resumidos em alguns parágrafos, e não em várias páginas. Isso dura até a centésima página, mais ou menos, e é só depois desse início introdutório que entendemos aonde exatamente a história deseja chegar. 
   A narrativa de Oliver continua sendo, como já afirmei na resenha de Delírio, o melhor aspecto de todo o livro. Dessa vez, contudo, há uma divisão um tanto diferente: o livro alterna entre o “antes” e o “agora” de Lena, contando os fatos, respectivamente, quando ela havia recentemente chegado à Selva e depois, quando ela se tornou parte do movimento rebelde. Essas duas partes não são contadas de forma cronológica, mas sim alternados entre um capítulo e outro. A descrição da autora continua fluída, leve, sendo quase poética em alguns momentos. 
   Lena foi uma personagem com a qual tive muitos problemas em Delírio, especialmente antes de se apaixonar por Alex – ela era indecidida, um tanto fútil e até mesmo tola. Em Pandemônio, podemos ver o quanto os acontecimentos de sua fuga abalaram a personagem: ela não é a mesma menina de antes. Seu amadurecimento é claro, e chega a ser um pouco triste; ela foi endurecida, e possui uma raiva e vontade de lutar surpreendentes.

"O ódio é isso. Alimenta você e ao mesmo tempo o faz apodrecer."
    Há uma grande adição de personagens que não conhecíamos, que, por serem Inválidos, trazem muito do desconhecido à estória. Isso foi, sim, interessante, entretanto, necessito afirmar que senti muita falta do Alex. Acredito que a autora tenha tentado compensar sua falta inserindo Julian como novo personagem masculino – contudo, por mais que Julian seja realmente para o plot, não acredito que tal manobra funcionou. Simpatizei, sim, com o garoto, mas muitas vezes achei o personagem chato, sem graça demais
   Esse segundo livro é cheio de ação, e consegue mostrar ao leitor uma faceta ainda inédita da sociedade distópica criada por Lauren Oliver. Ele é mais focado na luta dos rebeldes por uma causa, e aí está a clara diferença com Delírio, que tem como principal alicerce a descoberta do amor.
   Por mais que tenha gostado da estória que Pandemônio apresentou, não posso deixar de falar sobre os defeitos da obra. O principal ponto, em minha opinião, foi a falta de emoção, de profundidade dos fatos. Deixe-me colocar desta maneira:
    A autora se preocupou tanto, no primeiro livro, em desenvolver a emoção de encontrar um amor, mas acabou esquecendo, no segundo volume, de contar como é perder um amor. Lena pensa em Alex, sim, mas há uma dureza nela, uma falta de luto que é desconexa com tamanha paixão que sentia por ele. 
    E, ainda com toda a ação e foco na luta dos Inválidos, acredito que faltou muito desenvolvimento no plano de fundo da distopia. Conhecemos algumas coisas, sim, mas algumas delas são explicadas muito rasamente – ou, pior ainda, possuem uma justificativa nada plausível. Faltou muita explicação, e espero que isso mude no próximo livro, que é a conclusão da série. 
     Li o livro em apenas dois dias, mas especialmente pelo fato de desejar chegar até o final da obra e ver se minhas suspeitas se confirmariam – e, sim, eu estava certa. O fim que Lauren Oliver resolveu dar ao livro é, em partes iguais, inquietante e clichê. Inquietante pois é impossível não ficar com muita vontade de ler a conclusão da série depois daquela última frase; clichê devido ao fato de ser extremamente previsível, e algo que fiquei esperando durante todo o livro. Não é surpreendente, mas ainda sim consegue abalar o leitor. 
    O design do livro continua maravilhoso. As capas são incríveis, e é notável a quantidade de capricho que a Editora Intrínseca depositou na série – a aparência interna é tão linda quanto a externa. O material da capa é metalizado, e as folhas são amareladas e de boa qualidade. Gostei da tradução e, durante a leitura, não encontrei nenhum erro de revisão
     Mesmo que eu discorde do caminho que a estória trilhou nesse segundo livro, mal posso esperar para saber o que acontece em seguida. A conclusão de distopias sempre é algo curioso, para mim, então, é claro que vou continuar a leitura. Para aqueles que gostaram da proposta distópica, é uma ótima pedida! 
Primeiro parágrafo do livro:
"Alex e eu estamos deitados em um cobertor no quintal do número 37 da rua Brooks. As árvores parecem maiores e mais escuras que de costume. As folhas estão quase pretas, tão entrelaçadas que encobrem o céu."
Melhor quote:
"Existe um lugar para tudo e para todos, sabem. É esse o erro que eles cometem lá em cima. Acham que só existe lugar para algumas pessoas. Que só certos tipos de pessoa pertencem a algum lugar. Que o restante é lixo. Mas mesmo o lixo precisa ter seu lugar. Senão entulha, acumula apodrece."


37 Comentários

  1. Estou louca pra ler a série!
    http://mais-umlivronaestante.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Gabi, confesso que esta série não me interessou.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  3. O final que ela deixa subentendido em Delírio é tão "meu deus, como tu pode acabar um livro assim? Cadê a consideração com os leitores?!" AOSHDIOSAD É bem legal ela intercalar o "antes" e o "depois" mesmo, não ficou confuso porque dava pra saber... gostei de conhecer mais dos rebeldes e da Selva, conhecer as dificuldades que eles enfrentam e ver como são organizados, com todo um sistema para não serem pegos.
    Para mim, o aspecto mais interessante foi ver Lena amadurecer ainda mais que no primeiro livro, conhecer o outro lado da história que lhe foi contada desde pequena e ver a adaptação que ela enfrenta.
    Embora a Oliver até tenha enrolado nesse livro, foi muito menos do que o primeiro e pude acompanhar muitas reviravoltas, que inclusive contribuiram para mais um final super "UAU!" - serão essas as características de Oliver? Embromação e finais surpreendentes? Espero que ela abandone pelo menos a primeira no próximo livro, Réquiem.

    Legal a resenha, deixaste tua opinião bem clara e não ficou chata de ler :D

    ResponderExcluir
  4. Hehe Gente eu adoro este tipo de livro, eu não sei se estou errado mas este livro aparenta muito com Destino (Só lí a resenha), mas eu fico maravilhado com o que o autor consegue criar,, adorei e queeeero muito leeeerr!!!

    ResponderExcluir
  5. Patricia Medeiros14 de julho de 2014 23:32

    A cada resenha fico mais interessada nesta trilogia!

    ResponderExcluir
  6. Eu li apenas o primeiro livro, inclusive está super recente, terminei essa semana, mas estou igual vc falou, não vejo a hora de ter o segundo volume em mãos, sua resenha me deixou ainda mais ansiosa, quero muito continuar a trilogia, acompanhar toda essa repressão, saber como as coisas vão se encaixar. Mas confesso que fiquei com medo quando li sobre a embromação de 100 páginas, pq gostei tanto do primeiro livro e obviamente estou esperando o mesmo do segundo, por outro lado, pelo que li entendi que esse segundo livro tem mais ação, um número maior de personagens e é onde realmente vem a tona a raiva e indignação da Lena contra o sistema implicado pelo governo, estou super ansiosa para ler esse livro. Muito boa resenha, apesar do medinho da enrolação, ainda estou muito confiante de que vou gostar muito do segundo livro =) Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Achei a história confusa no começo, ma sdepois comecei a gostar. É bem interessante o fato de a Lauren meio que ter colocado a Lena na posição do Alex, de mostrar as coisas para o Julian, ensinar ele. A Lauren mudou bastante o cenário nesse livro, mas gostei assim mesmo.

    ResponderExcluir
  8. Realmente, o segundo livro não superou minhas expectativas.
    Eu não conseguia nomear de que eu estava sentindo falta, mas consegui saber quando li sua resenha: "A autora se preocupou tanto, em desenvolver a emoção de encontrar um amor, mas acabou esquecendo, de contar como é perder um amor". Foi exatamente isso que me chateou. Esperava emoções fortes e coisa e tal, mas ela deixou passar.
    Julian não conseguiu em nenhum momento me agradar, eu simplesmente sentia falta de Alex e o queria de volta, não consegui criar sentimentos por esse novo personagem. Sou muito chata em relação ao romance nos livros.
    Uma coisa apaixonante na série, como você destacou em ambas resenhas, é o design dos livros, tanto na capa quanto nos capítulos, é adorável!
    Ótima resenha, beijo! :3

    ResponderExcluir
  9. Aiii, já era de se esperar que o segundo volume não ia ser assim tão...tão..como foi o primeiro. Sabe, eu não sei você, mas considerando todas as series que eu ja li, apenas duas...DUAS...não ficam tediosamente ruins no segundo volume. É incrível, não consigo entender o que acontece com esses autores olha...será algum tipo de pacto sobre o volume dois tem que ser ruim?! Porque pelo amor de Deus..#revoltada
    Parabéns pela resenha, sei que não é tão fácil escrever sobre uma coisa que não foi assim tão empolgante quanto esperávamos, mesmo assim, vocês fazem isso pelos leitores, vlw e bjinhosssss

    ResponderExcluir
  10. Nossa o final do primeiro livro é isso tudo? Se for preciso urgente desse livro, eu simplesmente amo livros com final aberto, ou melhor, aqueles que surpreendem o leitor e o deixa avido pela continuação. Não vejo a hora de ler essa serie delirante!

    ResponderExcluir
  11. Eu não li a resenha inteira pois contém spoilers e eu não li ainda o 1º livro!
    Ahhhh eu quero ter essa trilogia em mãos o mais rapidamente possível!

    ResponderExcluir
  12. A cada resenha fico mais interessada nesta trilogia!

    ResponderExcluir
  13. pena este não ser tão emocionante assim. Mas mesmo assim, acho que vale a pena ler. Pois a personagem e sua história me conquistaram. Valeu por seus comentários. Já fico antenada nessas falhas e espero que o terceiro livro seja mais completo. Beijos.

    ResponderExcluir
  14. A cada resenha eu fico mais animada pra ler esse livro e ter a sorte de ganhar .
    Nossa viver em um mundo frio sem amor e compaixão deve ser o próprio filme de terror .
    me apaixonei pelas capas dos livros . são tão diferentes .
    quero ler esses livros eu preciso

    ResponderExcluir
  15. Gosto quando a personalidade dos personagens mudam, para melhor é óbvio, principalmente dos principais, então não sei se vou gostar nesse caso, da Lena, já que pelo visto ela ficou meio amarga, se esse é o termo certo a dizer e taus, rs.. porém o fato dela possuir uma vontade surpreendente de lutar é legal. To louca para ler toda a trilogia!

    ResponderExcluir
  16. ainda não li nenhum livro da serie, mas estou doida pra ler, adoro esse tipo de livro, a cada resenha da serie que leio minha vontade ler a serie aumenta *-*

    ResponderExcluir
  17. Está na minha lista. Assim que tiver chance lerei.

    ResponderExcluir
  18. ansiosa para ler a trilogia, e me apaixonando por cada resenha publicada.

    ResponderExcluir
  19. Gabi,eu amei esse livro, apesar de que ficou faltando emoções mais intensas. Oliver é meu favorito e a leitura sob a perspectiva dele é a melhor. Estou louca pra ler o grande final. Estou desesperada pra ler Requiém.srsrrs..amei a forma como ela escreveu do antes e o presente..super criativo..bjs e parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  20. Já gostei do livro pela capa, pela sinopse e pela sua resenha! Ai aii, trilogias ♥♥

    Tudo Que Motiva

    ResponderExcluir
  21. Eu acho muito bom quando o autor deixa o leitor em expectativa e não dá sinal do que está por vir. Pelo menos foi isso o que entendi ao ler a resenha. O final de Delirium ficou com sabor de quero mais, não é? Gostei da narrativa da resenha e agora que li mais essa resenha, estou doida para ler a trilogia.

    ResponderExcluir
  22. Eu comprei esse livro na bienal e vou ser sincersa, eu comprei pela capa pq achei tão bonita.
    No caso desse eu levando o primeiro livro, o segundo saia mais em conta. Na hora e na correria das compras não li a sinopse, mas me surpeendi qndo cheguei em casa e peguei ele para ler. Foi amor a primeira vitsa.
    Eu recomendo e estou ansiosa pelo terceiro.

    ResponderExcluir
  23. AAAaai q inveja de vcs q leram.. kkkkkk no momento do juntando dinheiro para a série Academia de Vampiros e para Assassin's Creed.. depois vou comprar a trilogia Delírio.. quero mtoooo ler.. amei a resenha!!!

    ResponderExcluir
  24. Lia resenha por cima por não querer pegar nenhum spoiler de Delírio já que não li ainda, então não tenho muito o que comentar, mas só sei que quero muito ler essa trilogia, espero que em breve!

    ResponderExcluir
  25. O ruim dos livros, o primeiro e esse, é que ela passa muito tempo enrolando para chegar aonde quer. Gostei que ela tenha dividido o antes como a descoberta do amor, e agora nessa estória a parte da rebelião.
    Ainda não li o livro, mas esperava mais dele.

    bjs

    ResponderExcluir
  26. Gosto muito de distopias e, por mais que a autora tenha se pedido em Pandemônio, vou ler tudo!!!
    http://diariode-escritora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  27. Cada resenha, tenho mais interesso na trilogia!

    ResponderExcluir
  28. Essa série parece ser ótima, estou doida pra ler!

    ResponderExcluir
  29. Eu tenho que ler essa maldita serie , pq vc esta me deixando cada vez mais curiosa , mais tenho medo de ler e me decepcionar :/

    ResponderExcluir
  30. Não tive a oportunidade de ler Delírio, e as suas resenhas só me deixa com mais vontade de ler. Estou curiosa e eu Odeio isso :p Essa série está me dexando curiosa e eu quero ler antes de assistir ao piloto :O Fiquei sabendo que tem uns extras, você sabe me dizer se realmente existe??? Bjinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dmaima!
      Obrigada pelo comentário, rs. E, respondendo a sua pergunta, existe sim! São três contos, na realidade, e são chamados de "Hana", "Raven" e "Annabel". Eles se passam entre os três livros da série e são bem curtinhos. Vale a pena conferir, já que tem algumas coisas que não saberíamos lendo apenas os livros da série lá :P Mas... sem spoilers! hahaha

      Beijos,
      Gabi - Equipe Palácio de Livros

      Excluir
  31. Quando eu terminei de ler Delirium eu fiquei super ansiosa pelo segundo livro, mas aí o tempo passou, várias pessoas leram o livro, li várias resenhas e ouvi vários comentários e, hoje, eu não estou nem um pouco empolgada para lê-lo. Eu esperava que nesse livro houvesse menos enrolação do que o outro, mas pelo vindo não tem. Espero que o terceiro seja, realmente, melhor.

    ResponderExcluir
  32. Todas as resenhas só me deixaram mais ansiosa para adquirir essa série...

    ResponderExcluir
  33. Estou super curioso pra ler essa continuação. É uma pena que a autora teve esses probleminhas com as 100 primeiras páginas, e com a questão de superficialidade em algumas partes do restante. O negócio agora é torcer pra que ela feche essa trilogia com chave de ouro em "Réquiem".

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  34. Muito curiosa para ler, pois não entendi direito e nunca li livros da Laura Oliver, torcendo para ganhar este kit, bjs.
    ronida_sindi@hotmail.com

    ResponderExcluir
  35. Parece ser uma coisa bem louca essa ideia de uma distopia, onde o amor se torna uma doença da qual se precisa tomar vacina. Não deixa de ser algo bem interessante e criativo. Ainda não tive a oportunidade de ler o primeiro livro da série, mas morro de vontades.

    ♫ Conversas de Alcova ♫

    ResponderExcluir
  36. Quando a gente imagina um final e gosta desse final dá uma confusão na cabeça né? haha Porque se o final é como o esperado achamos ele previsível e se não é ficamos bravos por que gostaríamos que fosse o final que imaginamos hahaha Acho que o escritor tem essa escolha, agradar ou surpreender, e ambas são boas! :)

    ResponderExcluir

.