Livro: Adormecida
Título original: A Long, Long Sleep
Autor (a): Anna Sheehan
Editora: Lua de Papel
Páginas: 272
ISBN: 978 856 306 6480

Rose Fitzroy esteve dormindo profundamente por décadas. Imersa num sono induzido, esquecida em um porão por mais de 60 anos, a jovem foi tratada como desaparecida enquanto os anos sombrios pairavam sobre o mundo. Despertada como por encanto e descobrindo-se herdeira de uma corporação multimilionária, Rose vai entendendo pouco a pouco, tudo o que aconteceu em sua ausência. Ela descobre que seus pais estão mortos. O rapaz por quem era apaixonada não é mais que uma mera lembrança. A Terra se tornou um lugar estranho e perigoso, especialmente para ela, que terá de assumir seu lugar à frente dos negócios. Desejando adaptar-se à nova realidade, Rose só consegue confiar numa única pessoa estranhamente familiar. Rose até gostaria de deixar o passado para trás, no entanto, ao pressentir o perigo, percebe que precisa enfrentá-lo - ou não haverá futuro.

      Adormecida conta a história de Rose Fitzroy uma adolescente que acorda depois de passar sessenta anos em estase — um tipo de tratamento futurístico em que a pessoa entra em um tubo que mantêm o corpo conservado, sem nunca envelhecer — e descobre que o mundo em que vivia já não mais existe. Ela foi tirada do estado de estase por Bren, um jovem que acabou encontrando-a no porão do condomínio Unicórnio, onde ela morava, e agora precisa lidar com a dura realidade: a sociedade dos tempos atuais é completamente diferente, com outros costumes, dialetos e gírias, outras pessoas moram em sua antiga casa, e, o mais impactante de tudo: todas as pessoas que ela conhecia estão mortas.
      Ela descobre que, já que está viva, é a única herdeira da Unicorp, a antiga empresa de seus pais, que hoje é um império multimilionário que controla a maioria do mundo. Além disso, precisa se adaptar a esse novo mundo, quando seu corpo, fadigado devido ao tempo passado em sono induzido, só quer deitar-se e descansar. Rose sente-se deslocada, como um experimento em que todos querem dar uma boa olhada, e os seus problemas parecem longe de acabar. O que ela não imagina, entretanto, é que sua mera existência coloca em risco um segredo antigo, que vem sendo guardado há muito tempo, e que o peso dele cairá sobre ela agora — assim como suas consequências.

     Adormecida trata-se de um livro difícil de resenhar, já que fale sobre um mundo tão diferente do nosso, com várias inovações e coisas que nunca imaginaríamos para o futuro. Minha primeira impressão, ao adquirir o livro, foi que ele seria um volume único, um tipo de releitura de A Bela Adormecida. Contudo, eu estava errada duas vezes. É claro, Anna Sheehan bebe da fonte criada pelos irmãos Grimm, mas ela usou o conto apenas como uma inspiração, já que há poucas semelhanças entre as histórias (além do óbvio). Além disso, a autora já afirmou que há um sequência para o livro, apesar de não afirmar quando ela será lançada.
     O livro, especialmente, trata-se do amadurecimento de Rose. No início da história, vemos uma garota melancólica, solitária e até mesmo imatura. Ela sempre foi tão submissa aos pais, fazendo sempre a vontade deles, e, agora que tem que ser independente, está confusa e não sabe o que fazer. Com isso, a menina está sempre tentada a voltar a seu tubo de estase, para esquecer os problemas e deixar a realidade, o que acaba irritando o leitor em algumas partes. Os motivos que dirigem a personagem só vão ficando mais claros conforme a leitura — o livro é um tanto confuso no começo —, mas depois que sabemos como era a vida de Rose antes de ser colocada para dormir por tantos anos, não podemos deixar de solidarizar-nos com ela. A jovem vai descobrindo, aos poucos, como tudo que lhe foi ensinado era errado, e esse será um processo doloroso, e até mesmo triste.  
     Como se a situação não fosse trágica o bastante, Rose encontra-se apaixonada por Bren, seu salvador, e sofre ainda mais ao descobrir que a paixão não é correspondida. Toda essa situação a lembra de Xavier, seu antigo vizinho, e o amor impossível que havia entre os dois. O pior de tudo é que ela não faz ideia de onde Xavier pode estar nos dias de hoje, e se ele ao menos ainda está vivo.
     É um livro um tanto triste, melancólico em alguns pontos. Rose percebe que nunca viveu de verdade, que a noção que tinha sobre a vida e como deveria levá-la era totalmente errônea, deturpada pelos seus pais. Os motivos são apresentados quase no fim do livro, e só assim, conseguimos entender pelo que Rose passou durante toda sua vida.
     O enredo do livro é completamente original, beirando algumas vezes a ficção-científica, mas eu esperava um pouco mais de agitação. Ele começa um tanto lento, e, apesar de com o tempo ter o seu ápice e revelar os mistérios que estão presentes desde o começo, acredito que a autora poderia ter desenvolvido-os melhor. Também encontrei, durante a leitura, vários diálogos desnecessários e devaneios um pouco enfadonhos da protagonista.
     Apesar de tudo isso, gostei bastante do livro. É claro que ele possui seus defeitos, mas, à parte dessas pequenas coisas, o que mais me agradou foi a história em geral, a ideia mais do que original de Sheehan. As reviravoltas são além de interessantes, e a maneira como o livro se encerra é bem inteligente: os mistérios apresentados são bem solucionados, mas ainda há pontas soltas e novas situações que deixam o leitor naquela expectativa excruciante.
     É um livro intenso, cativamente e um pouco melancólico. A autora consegue, através de sua obra, tocar o leitor, e surpreende-lo com a sensibilidade que é posta em um livro distópico, que é ao mesmo tempo tão original. Apesar de alguns deslizes, gostei muito, e está super recomendado!
Primeiro parágrafo do livro:
"TENTEI ME AGARRAR AOS MEUS SONHOS ESTASES O MÁXIMO QUE PUDE. Esse era meu jogo, lutar para manter o rumo entre aquelas imagens nebulosas onde era sempre tão fácil se perder. Tentei continuar em estase, mantendo meu coração pulsando bem devagar, recusando-me a despertar meus pulmões. Uma ou duas vezes consegui me conter por tanto tempo que minha mãe entrou em pânico e ligou o ressuscitador."
Melhor quote:
"— Você sente saudades dele?
Pensei em ignorar a pergunta ou mudar de assunto, mas não o fiz.
— Todos os dias — confessei. — Tento não pensar nele.
— Mesmo assim você o desenha.
Suspirei.
— Não posso pensar nele, mas também não consigo esquecê-lo. Não é certo esquecer uma pessoa que você amou."


7 Comentários

  1. Rafaela Henriques22 de abril de 2014 00:20

    Adorei a resenha,e a capa muito criativa,super curiosa para ler,acompanhar a história e descobrir o que acontecerá!
    Nossas as capas pelo mundo são muito chamativas.
    Nossa amiga você comprou pensando que era algo sobre a Bela Adormecida?
    Hum com inspiração nos irmãos Grimm com certeza tem mistério e pelo meio da história, olha aqui pessoal: http://portugues.free-ebooks.net/ebook/Adormecida-2

    ResponderExcluir
  2. A capa não é absurdamente linda como a colega acima citou, e a sinopse não é de tirar o fôlego! Achei a capa bem legal, e a sinopse mais ou menos, mas não sei se vai ser uma recontagem do conto de fadas bem legal... vamos ver quando eu for ler! Vou já baixar para ficar guardado. encontrei aqui para quem esteja interessado: http://portugues.free-ebooks.net/ebook/Adormecida-2

    boas leituras!

    ResponderExcluir
  3. a resenha e muito boa a resenhista fala sobre os defeitos do livro e as partes boas muito boa resenha!!

    ResponderExcluir
  4. Oi! Li este livro no ano passado e, infelizmente, acabei me decepcionando muito. Concordo que a estória, à primeira vista, parece muito com a bela adormecida mas a autora usou o conto apenas de inspiração. Eu esperava algo totalmente diferente e não gostei muito dos rumos tomados, achei a personagem chatinha e também achei os devaneios muito desnecessários. Mas o que me decepcionou muito mesmo foi o final, deixou tudo em aberto. Como você disse, a autora disse que tem continuação, mas como não sabemos se irá lançar, é um ponto muito negativo. Não é uma leitura ruim, também gostei em partes, mas acho que precisa muito da continuação. = /

    ResponderExcluir
  5. Esse livro foi realmente fantástico pra mim, eu estava passando por uma fase que eu não conseguia achar um livro que me prendesse. Logo que comecei a ler Adormecida, me encantei, logo no primeiro dia li cem páginas, em dois dias e meio terminei o livro. O que mais gostei do livro é que no começo ele faz a gente ter muitas perguntas, são muitos fatos sem explicações, mais no decorrer da leitura esses mistérios vão sendo desvendados, e as surpresas são maravilhosas, chorei muito senti muita raiva mesmo de alguns personagens.

    ResponderExcluir
  6. Gostei da resenha,parece ser um livro bom,despertou minha vontade de ler.

    ResponderExcluir

.