Livro: Caixa de Pássaros
Título Original: Bird Box
Autor (a): Josh Malerman
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580576528
Páginas: 272

Sinopse: Romance de estreia de Josh Malerman, Caixa de pássaros é um thriller psicológico tenso e aterrorizante, que explora a essência do medo. Uma história que vai deixar o leitor completamente sem fôlego mesmo depois de terminar de ler. Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão.

Caixa de Pássaros foi escrito pelo cantor e compositor da banda High Strung, Josh Malerman, e publicado no Brasil através da Editora Intrínseca. Elogiado por Hugh Howey, e, considerado uma promessa do thriller, conquistou uma aprovação alta na blogosfera. Será que esse livro é tão bom quanto dizem? Leia a resenha a seguir.

     Malorie acha que está grávida – mas isso está longe de ser o pior problema que enfrentará daqui em diante.  Há inúmeras pessoas no mundo perdendo sua sanidade e se suicidando. A mídia diz ser culpa de “algo” que viram, capaz de fazê-las enlouquecer a ponto de se autoflagelarem até a morte. Shannon, irmã de Malorie, começa a se desesperar, principalmente depois de perderem o contato com seus pais – que moravam em outra cidade. A praga chegara até elas.
     Como forma de fugir desse “mau”, as pessoas de sua vizinhança começaram a tampar os olhos com jornais, chapéus, ou com as próprias mãos. As janelas foram, aos poucos, tampadas por papelão, cobertores ou tábuas. Não demorou muito para que as pessoas morressem por consequência de pequenos descuidos. O que era “aquilo”? Criaturas? Demônios? Malorie só sabia que deveria manter os olhos tampados.
     Não obstante, o caos se implantou. Nossa protagonista se vê sozinha no mundo, a única sobrevivente que conhecia. Em busca de uma boa fuga, Malorie encontra um anúncio no jornal indicando um abrigo de proteção a todos que precisassem. Estava na hora de ir até eles e investir numa ultima tentativa de sobrevivência.
     Esse grupo de sobreviventes era composto por Tom, Cheryl, Jules, Félix e Don. Receberam Malorie, mesmo preocupados com a criança que viria a nascer. A casa tinha comida enlatada, um poço, um porão e sótão seguros. Contudo, a higiene era mínima; talvez seu bebê simplesmente não resistisse num lugar tão inapropriado.  Mas havia mais ricos de se morar em grande número de pessoas: os deslizes. Era preciso somente uma venda cair, um cobertor rasgar ou uma porta ser aberta para toda esperança se esvair.


     Josh Malerman fez o livro mais impactante que já li até hoje. Trata-se de um suspense mesclado ao gênero “thriller”, um clima adoravelmente sombrio. Porém, mais que isso, Caixa de Pássaros é uma obra genial!
     O autor adotou um mecanismo muito perigoso para seu livro de estreia. O enredo não-linear é famoso por trazer furos no história, ou não manter um mistério que seria fundamental para uma trama envolvente. Contudo, Josh conseguiu segurar o grande “segredo”, mesmo quando lidava com o passado de nossa protagonista, e mais: tomou o devido cuidado para não haver furos ou revelações que estragassem o suspense.
     Outra autora que se dá muito bem com o enredo não-linear é Kimberly McCreight, escritora de “Reconstruindo Amelia”. Assim como ela, Josh só revelou detalhes do livro no momento certo, quando o passado se ligava ao presente. É importante ressaltar que para que haja sucesso nessa tentativa brilhante, é necessário um planejamento rigoroso de fatos.
     Essa alternância de cenários, tempo e personagens auxiliou muito para que o livro não ficasse desinteressante, monótono e pesado. Pisar em um capítulo no presente, e, no seguinte, no passado aprofundou e concretizou ainda mais a história.

     A narração foi um ponto importantíssimo em Caixa de Pássaros. Este livrou provou que a narração em terceira pessoa deixa a história tão emocionante e tocante quanto a feita em primeira pessoa.  Josh soube representar o desespero, o devaneio e a loucura perfeitamente através de suas palavras; soube me arrepiar, fazer-me ficar tensa e nervosa. A narração ganha grande parte do mérito dessa obra; sem excelência nela, Caixa de Pássaros não teria alcançado sua real potencialidade.
     Mas é um livro forte. É fundamental ter estômago para os detalhes macabros e cruéis que serão apresentados – e para suportar o letal suspense. Essa obra me deixou com medo do escuro, algo que eu tinha vencido quando ainda criança. “O que tem no escuro?” “Estou sozinha?” A protagonista se perguntava, e agora, eu também. Foi quase impossível dormir depois de ler algumas cenas perturbadoras e eletrizantes.
     A envolvência desse livro é incrível. Foi um dos poucos livros que conseguiu me conquistar nos primeiros parágrafos e manteve meu interesse até o fim. Além disso, a própria trama auxiliou muito. Sem essa história inteligente e excepcional, não haveria nenhum motivo para me prender.
     Já os personagens foram muito bem desenvolvidos. Pareciam tão reais que não consegui me despedir deles completamente. Chorei por aqueles que tiveram um final terrível – e não foram poucos. E chorei até pelos animais acrescentados nessa história. Parecia que eu estava lidando com fatos reais, com diálogos legítimos e com pessoas verdadeiras.

“O garoto pega a mão esquerda de Malorie. A Menina aperta a direita com seus dedinhos. Vendados, os três saem da casa.”

     Malorie foi uma protagonista que jamais esquecerei. Demasiadamente forte, decidida, e corajosa, Malorie me conquistou assim passou por provações que eu não saberia suportar. Tom foi outro personagem carismático, assim como o cãozinho Victor. Vou guarda-los para sempre na minha memória.
     O clímax e o desfecho de Caixa de Pássaros foi instigador. Josh não nos apresentou sua teoria a cerca do “mistério” – simplesmente deixou aberto sugerindo uma possível continuação. Outros pequenos detalhes também não foram explicados, apesar de eu acreditar fielmente que foi proposital. Espero realmente que o autor tenha a intenção de prosseguir nesse mundo apocalíptico, pois há muito que trabalhar nele.
     Defendo que Caixa de Pássaros precisa definitivamente de uma adaptação para telas. Seria um filme genial se produzido pelas pessoas corretas, já que é muito semelhante com “Eu sou a Lenda”. Se você, leitor, apreciou este filme, com certeza apreciará também essa obra literária.
     O designe do livro é perfeito. Sua capa linda e bem construída já mostra muito de seu conteúdo e a diagramação interna com imagens reforça isso. As páginas amareladas e a fonte de letra auxiliaram muito na leitura. As edições da Editora Intrínseca sempre são muito agradáveis!
     Indico esse livro para todos que gostam de histórias emocionantes e inesquecíveis. Contudo, lembrem-se: Caixa de Pássaros também se mostra assustador. Embarquem nessa leitura já cientes da respiração ofegante, da garganta fechada e dos olhos arregalados que produzirão durante a leitura – e, provavelmente, as lágrimas. É simplesmente um livro genial em todos os aspectos.


Primeiro Parágrafo: “Malorie está na cozinha, pensando. Tem as mãos úmidas. Treme. Bate o pé, nervosa, no piso de azulejo rachados. É cedo."

Melhor Quote: “As crianças não berraram, não choramingaram. São pacientes demais para isso. Mas quão longe uma pessoa consegue ouvir?” 

                                           





18 Comentários

  1. que interessante um livro sobre sobrevivencia pessoal ter sido escrito por um cantor, ^^

    http://www.jacknuit.com.br/

    adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  2. To louca para ler esse livro, parece ser tão eletrizante e perturbador. Também acho que não é qualquer autor que se dá bem em uma narrativa não-linear as vezes fica umas pontas soltas e tal. Esse livro ta muito lindo a capa e esses desenhos nas folhas desejando muito.

    ResponderExcluir
  3. Eu tô louca para ler esse livro! Não sabia que um cantor o havia escrito, achei muito legal!
    Ótima resenha, instigou mais ainda a ler o livro =)
    Parabéns pelo blog!
    Beijos!

    www.livrosdajess.com

    ResponderExcluir
  4. Desde a primeira postagem em que vi esse livro nos lançamentos da Intrínseca eu fiquei interessada nele. Queria ler thrillers, e essa sinopse é incrível. Agora eu não me sinto mais interessada. Eu me sinto intimada.
    Mais uma resenha ótima, o que não é novidade; Mas o livro, bem, o que você descreveu é melhor do que eu poderia imaginar, melhor do que eu esperava! Altas expectativas, com certeza vou comprá-lo quando puder.
    Até mais!
    www.nossosmundos.com

    ResponderExcluir
  5. Oi, Letícia!
    Há pouco tempo Caixa de Pássaros era febre, agora que pararam de falar um pouco do livro. Só sei que me lembra bastante um filme, acho que o nome é Epidemia! Mesmo com controvérsias sobre a nota do livro no geral, eu vou dar uma chance porque a premissa é bem curiosa.
    Com carinho,
    Celly.

    Me Livrando

    ResponderExcluir
  6. cara esse sem dúvida foi um dos melhores livros que eu i esse ano.
    e até agora to muito confusa com o lance das criaturas, a gente pode entender tantas coisas que nem sei por onde começar minha teoria.
    enfim vale muito a pena esse livro.
    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  7. Olá Letícia, eu já queria ler este livro apenas pela sinopse agora sabendo que a historia foi bem desenvolvida junto com os personagens deixando o mistério se desenvolver me deixou com muito mais vontade de lê-lo *-*

    Visite "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir
  8. Sim, o livro é mesmo genial!! Não é de um gênero que eu tenha o costume de ler, mas me surpreendi demais. Sou mega medrosa, mas não cheguei a ter medo nesse livro. Agora algumas cenas mega fortes realmente me incomodaram, me deram um enjoo básico. Mas nem nesses momentos eu conseguia parar de ler, a narrativa do autor é completamente viciante. E não curto finais abertos, mas esse eu curti. Não sei nem se quero uma continuação... rs... mas a adaptação eu queria sim!

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  9. Olá, Letícia.

    Como você disse na resenha esse livro causou bastante na blogosfera e me deixou morrendo de curiosidade, ainda mais depois da sua comparação com Eu sou a Lenda. Amo esse filme. Parabéns pela resenha.
    Abraços

    www.estantejovem.com.br

    ResponderExcluir
  10. Caraa, esse livro é muito bom! Acho que nunca li um livro que me envolvesse tanto!
    Pode chorar comigo, mas o autor não tem a intensão de fazer uma continuação. Pelos isso não passou pela cabeça dele. Adorei as partes que ele deixou em aberto, porque não sei se alguma explicação conseguiria superar minhas expectativas. E ta ai, fico curiosa para saber como ele poderia ser transformado em filme. Principalmente por não poder mostrar a criatura.

    Beijiinhos ;*
    Andressa - Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
  11. Que maravilhoso encontrar alguem que também amou esse livro! rsrs Li uma resenhas em que as pessoas não gostaram muito, principalmente do final. Eu achei digno! Muito bom mesmo.
    Ha quem deseje uma continuação, eu particularmente até gostaria de ler mais sobre mas não acho que ficou falatndo algo, o autor soube elaborar bem a história.

    Beijos
    Paulinha
    http://penseira-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Primeira resenha que leio desde livro. Eu estava precisando mesmo. Já estava de olho, mas confio em sinopse, sempre acho que a opinião de alguém é melhor.
    Vou comprar, decididamente. Amei essa coisa claustrofóbica, esse horror psicológico. Amei tudo isso! Amo sentir esse medo todo!
    Resenha amedrontadora.

    ResponderExcluir
  13. [ESSE COMENTÁRIO CONTÉM SPOILERS!]

    Depois de ler esse livro, fiquei encucado com umas coisas:
    -Como é possível, em um mesmo dia, Malorie e Olympia terem suas crianças, todo mundo morrer e o tal do Rick ligar?
    -Por que o tal do Gary via as criaturas e não se matava? Seria ele Deus, o capiroto, ou seria verdade o seu argumento que só perderia a sanidade aquele que não via o mundo da mesma forma que ele?
    -Gostaria muito de saber, na íntegra, o que aconteceu no dia em que todos morreram!

    Apesar desses pontos, o livro é muito interessante, explora bem os sentimentos de angústia, pavor e medo em um mundo onde não se pode abrir os olhos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro e bom mas o que acontece com Gary quem ele era? E as crianças tiraram as vendas? Aí deveria ter continuação

      Excluir
    2. Também quria saber as perguntas acima

      Excluir
  14. Eu simplesmente AMO thriller psicológico <3 tenho uma coleção de livros desse gênero e Caixa de Pássaros é minha próxima leitura (mal posso esperar).
    Ao ler a resenha, percebi que a proposta da história é bem parecida com a do filme Rua Cloverfield, 10 e como adorei o filme, agora tenho certeza de que vou devorar esse livro!!
    Só não gostei do fato de Josh não ter explicado a causa desse caos... terei que viver com essa dúvida. Haha

    ResponderExcluir
  15. Eu lembro que queria comprar esse livro mas não lembrava que a sinopse era ESSA! Socorro, parece muito bom, daqueles que te fazem devorar as páginas pra saber como termina. E um filme então... Não assisti A Lenda, então não entendi a comparação... Mas quero ler A caixa de pássaros :D

    ResponderExcluir
  16. Achei o livro muito bom, mas não achei completo achei que ficar faltando informação e fatos que deviam ter acontecido e não aconteceu, tem que ter continuação.

    ResponderExcluir

.